Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Musicart

Lisboa Dance Festival: Lisboa volta a dançar ao som da Electrónica

Cartaz Lisboa Dance Festival.jpg

 

Nos próximos dias 10 e 11 de Março, a Lx Factory voltar a acolher o Lisboa Dance Festival para a sua 2ª edição.
Com o objectivo de chegar mais longe e abranger uma visão 360º da Electrónica, música, talks e market voltam a ser os três pilares deste "conceito progressivo", com novidades que vão para além dos nomes que compõem o cartaz.


Ao todo, são seis as salas ocupadas pelo festival, quatro delas dedicadas à música. O hostel The Dorm recebe o novo conceito B2B, a livraria Ler Devagar será palco do Clube Antena 3, a ZOOT será ocupada pelas curadorias de Branko e Moullinex, enquanto que a Fábrica XL é a sala principal, por onde irão passar grande parte dos cabeças de cartaz.
O mercado ficará instalado na Fábrica L, onde vão ocorrer também as talks e no Café na Fábrica irão acontecer as "Conversas de Café", com o selo Antena 3.


 

Música

O prato principal, que será certamente o motivo pelo qual mais gente marcará presença no Lisboa Dance Festival, leva a presença de Marcel Dettman, Hércules & Love Affair, Mount Kimbie ou Jessie Lanza.
Aos "grandes" internacionais da música Electrónica, na Fábrica XL, junta-se o rapper e produtor Holly Hood. Dono das sonoridades Hip Hop e trap, prepara-se para apresentar a segunda parte de uma trilogia que sucede a "O dread que matou o Golias", intitulada de "Sangue ruim".

A Carlsberg Room @ ZOOT está reservada para as curadorias de Moullinex e Branko, acompanhados de uma série de convidados para um total de 8H de música divididos pelos dois dias, enquanto que na Ler Devagar, os livros vão ser postos de parte para dar lugar à música de artistas nacionais como Batida, DJ Glue, Harold, Rui Maia, Holy Nothing ou Corona.

Uma das grandes novidades vai para o conceito B2B, na estreante sala Kia Rio room @ The Dorm. Sam The Kid e DJ BIG, Darksunn e Nitronious, Vítor Belanciano e Davide Pinheiro, DJ Riot e Nuno Forte ou DJ Kwan e Stereossauro, são alguns dos nomes que se desafiam entre sim, onde quem ganha é sempre o público.

 

Música.png

 

Talks
As talks voltam a ser aposta forte por parte da organização. Em cima da mesa, para serem discutidos e debatidos, há temas como "Girl Power" (com Isilda Sanches, Caroline Lethô, Sonja e Karla), "Local é Global" (com Pedro Conquenão, Kking Kong, Luis Oliveira e Nuno Saraiva), "O fenómeno Hip Hop" (com Rui Miguel Abreu, Ricardo Farinha ou Mike El Nite) e "Dominar as Redes Sociais", através de um workshop da Triciclo com Ricardo Simões.
A acontecer no mesmo espaço, haverão ainda masterclasses de Launchpad, Djing, Masterização, Sampling e Live e Manipulação de áudio em tempo real.

Debates.pngMasterclasses.png


Market
Dos discos a equipamento Djing, passando pelo merchandising, no mercado desta edição vai ser possível, mais uma vez, sair de Alcântara sem ser de mãos a abanar.
A ocupar as bancas da Fábrica L, entre as 19H e as 0H de sexta-feira e entre as 14H e as 0H de sábado, estão confirmadas as presenças de lojas de equipamentos musicais, lojas de vinil, estúdios de gravação e escolas.

Market.png

 

Os bilhetes, neste momento, têm os preços de 30€ (diário) e 50€ (passe dois dias), aos quais poderá ser acrescida a dormida.

No primeiro ano, o festival arrastou até à Lx Factory cerca de 9 mil pessoas e elevou a fasquia para esta 2ª edição que, espera-se, será de afirmação
Fica a conhecer o cartaz completo e os horários do aqui.