Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Musicart

#CurtasMusicart: NOIATT

97131421_574192006559068_3749793520727097344_n.png

O primeiro convidado na estreia desta 2ª season das #CurtasMusicart é NOIATT

O MC e Produtor, oriundo de Lisboa, traz dois trabalhos na bagagem - o EP "Eremita" e uma Beat Tape intitulada "Sono". Ambos, são o resultado final das duas formas que encontrou para se exprimir através da música: a lírica e o beatmaking. A primeira é o foco principal do projecto, em que cria uma crítica (social e não só) aos dias de hoje, assumindo o papel de repórter em que relata e descreve as coisas da forma como as vê. A segunda, igualmente importante, é o beatmaking , através do qual expressa sentimentos e emoções. O objectivo é dar uma identidade própria e um fio condutor aos instrumentais, através da escolha dos samples.

Em vésperas de lançar um novo tema (que fará parte do novo EP "A Origem do Mal", a ser lançado ainda durante este ano), NOIATT aceitou responder às três perguntas da Musicart.

 

Como é que tudo começou o gosto pela música e quais foram as tuas inspirações?
Muito resumidamente tudo começou quando a minha irmã me passou um CD single do "Pretty fly for a white guy" dos Offspring, o meu gosto meu pelo punk cresceu apartir dos 13 anos de idade.
No entanto, e com a cultura rap a ter mais visibilidade em Portugal, Da Weasel foi uma das grandes inspirações pois ligavam os dois mundos do rock e do hiphop. Grupos como Mundo Complexo e Mind da Gap, e MC's como Sam the Kid, Chullage, Twism entre outros, faziam parte da minha playlist.
Avançando no tempo fui me ligando muito mais ao movimento Punk/Hardcore, tendo tido várias bandas desde dos 16 anos de idade, e ainda continuando com uma (Push!). É um movimento que me liga emocionalmente e que provavelmente nunca irei largar.
Tive sempre o bixinho de ter este projecto de hip hop. Comecei a construí-lo em 2015 e a levar mais a sério o beatmaking. As influências vão desde daquele rugged hiphop americano como MF Doom, Necro, Non-Phixion, a hip hop inglês como Dirty Dike, Verb T, a Uk grime como Dizzee Rascal e Wiley. Tento trazer algo de diferente para a mesa. Influências de garage e house também serão visiveis no meu próximo trabalho.

Com um EP editado e uma Beat Tape, se tivesses de escolher, rimas ou beats, o que preferias?
Adoro beatmaking, é provavelmente onde eu perco mais tempo diariamente. Provavelmente todos os dias faço um rascunho de um beat, um loop, uma linha de baixo. No entanto irei sempre escolher rimas, porque a possibilidade de passar mensagem ao próximo é valiosa na actual sociedade. Não há nada que pague a liberdade de expressão.

Vem ai um novo single a caminho. O que se segue? Quais são os próximos passos e projectos para o futuro?
Estou a trabalhar num EP intitulado "A Origem do Mal". Estou praticamente a finaliza-lo, estava a contar com 5 músicas mas possível poderão ser mais.
Vou lançar vários singles nos próximos meses. Poderá também haver a possibilidade de tocar ao vivo.

 

Voltamos a falar de NOIATT no dia 13 de Abril, com a divulgação do novo single. Aproveitem para segui-lo também nas redes sociais e acompanharem os próximos passos:
InstragramFacebookYouTube

 

26841449_528710724161268_738799267264542293_o.jpg